Cursos - Agronomia FIB: Pai e filho fazem estágio juntos no Núcleo de Produção de Sementes da CATI, em Bauru - .::FIB BAURU::.

Agronomia FIB: Pai e filho fazem estágio juntos no Núcleo de Produção de Sementes da CATI, em Bauru





*Vinícius Agostini - Jornalista - Centro de Comunicação Rural (Cecor/CATI)


Em algumas famílias, os ensinamentos de pai para filho se tornam também profissionais. Não basta torcer pelo mesmo time ou gostar da mesma banda, muitas pessoas acabam herdando dos pais o gosto pela mesma profissão. Foi o que aconteceu no município de Bauru, onde pai e filho participam do estágio promovido pela Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), no Núcleo de Produção de Sementes e Mudas (NPS). Os dois cursam Agronomia.

O diretor do NPS de Bauru, engenheiro agrônomo João Paulo Teixeira Whitaker, que também trabalha como professor e ministra aulas de produção e tecnologia de sementes para o curso de Agronomia das Faculdades Integradas de Bauru (FIB), percebeu que, em pouco tempo, estava lecionando na mesma classe para pai e filho. “Percebi que estava dando aula para pai e filho por causa da semelhança dos sobrenomes e perguntei se havia parentesco entre eles”, conta Whitaker, que trabalha no NPS há 24 anos. Atualmente, o NPS Bauru comercializa cerca de 11 espécies de sementes e algumas espécies com finalidades forrageiras. Além disso comercializa mais de 200 espécies de mudas (florestais, silvestres e frutíferas).

Após quatro anos na faculdade, Victor Alves Nunes, o filho, de 25 anos, e Valter Alves Nunes, o pai, de 59 anos, necessitavam fazer um estágio para conseguir o diploma, já que o estágio curricular é obrigatório. Enxergando o potencial de Victor e Valter, o professor e diretor do NPS sugeriu a ambos um período para atuar na área de produção de sementes do NPS da CATI, em Bauru.

“Como o estágio é obrigatório e os dois sempre gostaram da parte de produção de sementes, achei que seria uma grande oportunidade para que eles aprendessem mais sobre a profissão, além de terem a chance de trabalhar in loco”, comenta Whitaker. Pai e filho têm muito interesse pela área de sementes e resolveram, cada um, elaborar um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) abordando a área de sementes. O TCC de Valter foi intitulado “Germinação de Sementes de Barbatimão”. O de Victor abordou o tema “Germinação de Sementes de Sucupira Amarela”.

Valter conta que o interesse pelo curso de Agronomia veio ainda jovem. “À época, por motivos de trabalho, não pude fazer o curso, mas quando eu trabalhava no sítio da minha família, já tinha o interesse de estudar Agronomia”, disse. Victor afirma que o interesse pela área veio da iniciativa do pai em fazer curso e também pela família ter uma propriedade rural. No sítio da família, pai e filho cultivam soja, feijão, milho e cana-de-açúcar.

Valter e Victor atuam no laboratório realizando o acompanhamento das atividades técnicas de análise da qualidade de sementes, já que o NPS de Bauru conta com o Laboratório de Análises de Sementes, além das atividades de armazenamento e comercialização de sementes. Além disso, devido à existência de um viveiro de mudas, também acompanham os tratos culturais e as ações de assessoria técnica durante o contato com os produtores rurais na unidade. “É oferecida ainda a possibilidade de visitas técnicas aos nossos outros Núcleos de Produção de Sementes e Mudas para vivenciarem demais atividades desenvolvidas no Departamento de Sementes, Mudas e Matrizes (DSMM)”, explica o professor.

Pai e filho classificam a oportunidade de estágio no NPS de Bauru como importantíssima. “Aqui nós temos a oportunidade de fazer análise, germinação, trabalhar com o viveiro de mudas, aprender o tipo certo de claridade para cada semente, sempre buscando as melhores maneiras de germinação. É um aprendizado diário”, afirma Victor.

O diretor do NPS de Bauru falou da importância do estágio. “Dentro das atividades do serviço púbico estadual, o intercâmbio com instituições de ensino traz a possibilidade não só de oferecer nossos conhecimentos aos estagiários, mas também de agregar novos conhecimentos ao corpo técnico da CATI, que são trazidos por estes alunos”, afirmou.

Ypujucan Caramuru, diretor do Departamento de Comunicação e Treinamento (DCT) da CATI, destaca que o estágio é uma etapa importante no processo de desenvolvimento e aprendizagem do aluno. “O estágio promove oportunidades de vivenciar na prática conteúdos acadêmicos, propiciando a aquisição de conhecimentos e atitudes relacionadas com a profissão escolhida pelo estagiário”, mencionou. “O estágio proporciona a oportunidade de vivenciar a realidade agropecuária que encontrará no exercício da profissão”, concluiu Ypujucan.

Quero estagiar

Os estágios na CATI são concedidos mediante convênio formalizado entre a instituição de ensino, a qual o aluno interessado pertence, e a Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA) do Estado, por meio da CATI. A diretora do Centro de Treinamento (Cetate), Miriam Abrahão Gonçalves, explica como é o estágio oferecido pela CATI. "Tratam-se de estágios curriculares, não remunerados, para alunos de escolas públicas ou privadas, de segundo grau, colégio técnico ou ensino superior, preferencialmente nas áreas de Ciências Agrárias, Medicina Veterinária, Biologia e Ciências Sociais e outras formações conforme a disponibilidade de supervisores nas unidades de serviço da CATI, Casas da Agricultura (CAs) ou Escritórios de Desenvolvimento Rural (EDRs). Atualmente, a CATI possui 17 convênios vigentes com universidades e faculdades", afirmou a diretora do Cetate.

A responsável pela triagem de estudantes, contato com as universidades e acompanhamento dos estágios é a médica veterinária Ana Paula Rys Pegorari, que trabalha no Cetate da CATI, em Campinas. “Os interessados podem comparecer ao EDR correspondente ou nas Casas de Agricultura. Também é possível entrar em contato por meio do telefone (19) 3743-3782", afirmou.

 

CATI

A Coordenadoria de Assistência Técnica Integral é um órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, que oferece assistência técnica e extensão rural aos produtores de praticamente todos os municípios paulistas. Na sede da instituição atuam cerca de 130 servidores.

Mais informações: (19) 3743-3870 ou 3743-3859
jornalismo@cati.sp.gov.br


*Publicado originalmente no site da  Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI).







Notícias FIB

Cursos

Ver todas
(14) 99822-3829
(14) 2109-6200
R. José Santiago, Quadra 15, Bauru - SP, 17056-120
FIB Bauru © 2019 - Todos os direitos reservados