Facebook Pixel Fallback

Engenheiro de Produção: o profissional estratégico para a gestão da inovação

Os engenheiros de produção são responsáveis por acompanhar tendências, fazer parcerias e dar passos que agreguem valor aos produtos ou serviços de uma empresa.




Por Selma Miranda


Falar em gestão da inovação significa estruturar os meios e métodos para tornar algo que já existe melhor, mais eficiente e rentável. Ou mesmo criar um produto ou serviço capaz de gerar vantagens competitivas no cenário mercadológico. Podemos citar como um  exemplo simples de inovação as empresas que, diante do cenário de pandemia e de fechamento do comércio, implantaram outras formas de comunicação com seus clientes e conseguiram otimizar as vendas . Já uma grande empresa que se tornou exemplo de inovação é a Netflix. Fundada em 1997 nos Estados Unidos, ela surgiu como um serviço de entrega de DVD pelo correio e hoje  oferece filmes e séries por streaming  para mais de 30 idiomas e em 190 países.

A inovação é importante para a sustentabilidade das organizações, para uma maior visibilidade e reputação positiva perante os clientes, parceiros e investidores.  Mas inovar demanda tempo, dedicação e recursos.

E aí entra em cena um profissional que tem se destacado cada vez mais quando o assunto é  gestão da inovação nas empresas: o engenheiro de produção, preparado para projetar, implementar e gerir sistemas integrados de pessoas, materiais, equipamentos e informações, sempre em busca de resultados econômicos eficazes.

A engenheira de produção Fernanda Amorim Farias é analista na Coordenação de Facilities e Frota na AES Brasil, geradora de energia. “Meu setor atua no suporte às operações da empresa, com infraestrutura, frota, gestão de contratos. Minhas responsabilidades são atender bem os clientes internos e fornecedores, manter todos os contratos funcionando e nosso orçamento em dia”, explica Fernanda. Sobre os processos de inovação relacionados ao seu trabalho, a profissional destaca:

“O fato de estar no mercado de energia já gera uma necessidade saudável de inovar, as empresas estão cada mais buscando alternativas para entregar o melhor para os clientes. Como Engenheira de Produção, consigo unir os conhecimentos em processos, projetos e tecnologia, na busca por serviços, produtos e até processos inovadores, que tragam valor na cadeia toda”, diz ela.

“A visão do engenheiro de produção na inovação está totalmente ligada com a capacidade de usar ferramentas de projetos, processos produtivos, e gestão para trazer valor para empresa. Inovar vai além da melhoria contínua, ela engloba o fator valor agregado, que será medido pela receptividade de quem irá se utilizar desta inovação”, analisa Fernanda.

 

Cultura da inovação para além das grandes empresas

E engana-se quem pensa que a inovação é aplicável apenas às grandes empresas. A coordenadora do curso de Engenharia de Produção de Produção das Faculdades Integradas de Bauru (FIB), profa. Dra. Tatiene Martins Coelho Trevisanuto, explica que  a maioria das grandes empresas e indústrias têm tradição em inovação, pois possuem áreas inteiras dedicadas a este processo, com laboratórios de pesquisa e desenvolvimento (P&D) e contam com diversos pesquisadores.

No entanto, a inovação não se limita somente a este segmento de empresas e indústrias. “Existe um tipo de mudança muito mais importante que precisa ser frequentemente executada: aquela que se baseia em valores, princípios, conceitos, nas normas internas e na missão da marca. Nesse sentido, estamos falando de renovação da cultura organizacional, e é exatamente aqui que aparece a cultura da inovação”, destaca Tatiene.

 “Toda empresa, de qualquer porte e seja ela industrial, comercial ou de prestação de serviço, precisa estabelecer uma cultura de inovação”, ressalta Tatiene. As inovações são capazes de gerar vantagens competitivas a médio e longo prazo e possibilitam uma posição de vantagem em relação à concorrência”,  avalia a coordenadora.

Igualmente, a atuação do engenheiro de produção também não se restringe às grandes organizações ou indústrias, como ressalta Fernanda. “O engenheiro de produção tem em sua grade curricular matérias e práticas que permitem a ele atuar em diversos campos, incluindo a área civil, por exemplo. Temos engenheiros de produção trabalhando em gestão hospitalar, segurança, consultorias e muito mais”, finaliza Fernanda.


→Quer saber mais sobre a carreira na Engenharia de Produção? Acesse a página do curso.


                                                                                                                 Fernanda Amorim Farias no Centro de Operações da AES Brasil.






Notícias FIB

Cursos

Ver todas
(14) 2109-6200 (GRADUAÇÃO e PÓS-GRADUAÇÂO)
(14) 2109-6200
R. José Santiago, Quadra 15, Bauru - SP, 17056-120
FIB Bauru © 2021 - Todos os direitos reservados