Facebook Pixel Fallback

Setembro Amarelo: conte comigo!

Olhar para o próximo e oferecer ajuda pode prevenir mortes por suicídio.





Por Selma Miranda


800 mil suicídios por ano. 1 suicídio a cada quarenta segundos. Esses são os dados relacionados às mortes por suicídio em todo o planeta. Já aqui no país, cerca de 32 brasileiros se suicidam diariamente.

O Ministério da Saúde (MS) destaca que o contexto da pandemia de Covid-19 vem sendo apontado por diversos países e organizações científicas como um alerta para um aumento ainda maior nas ocorrências de suicídio e automutilação, devido ao agravo de riscos psicossociais, medo do contágio, ansiedade, isolamento social, luto e estresse das tensões relativas à infecção.

Desde 2003,  o 10 de setembro foi escolhido como o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. No Brasil, a Campanha do Setembro Amarelo foi criada em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), com o objetivo de promover a conscientização sobre a prevenção do suicídio.

De acordo com MS, o suicídio é o resultado de uma convergência de fatores de risco genéticos, psicológicos, sociais e culturais e outros, às vezes combinados com experiências de trauma e perda. Pessoas que tiram a própria vida representam um grupo heterogêneo, com influências causais únicas, complexas e multifacetadas que precedem seu ato final. 

A Organização Mundial de Saúde aponta que é possível prevenir o suicídio em 90% dos casos, por meio da oferta de ajuda voluntária ou profissional. "De forma geral, todos podem assumir algumas posturas que servem de apoio à pessoa com ideação suicida, por exemplo: manter um diálogo aberto, sem preconceitos e julgamentos; respeitoso com a dor do outro e ser empático", explica a coordenadora do curso de Psicologia das Faculdades Integradas de Bauru (FIB), profa. Andréia Barbosa de Lima.

"Se alguém o procurar para conversar, deixe a pessoa a vontade, escute com atenção e não rechace. Ofereça ajuda e se disponibilize em acompanhar essa pessoa a um serviço de saúde mental ou profissional habilitado para lidar com esse sofrimento e outras questões emocionais envolvidas", orienta Andréia.


Onde buscar ajuda para prevenir o suicídio?

O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza atendimento para pessoas em sofrimento psíquico por meio dos serviços da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), como os CAPS, Unidades Básicas de Saúde, Postos de Saúde e Unidades de Pronto Atendimento.

Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) nas suas diferentes modalidades são pontos de atenção estratégicos da RAPS: serviços de saúde de caráter aberto e comunitário constituído por equipe multiprofissional e que atua sobre a ótica interdisciplinar e realiza prioritariamente atendimento às pessoas com sofrimento ou transtorno mental.

Bauru conta com quatro unidades do CAPS. Os endereços e telefones estão disponíveis no site da Prefeitura Municipal, assim como os demais serviços de saúde do município

Centro de Valorização da Vida. O CVV realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas. Basta ligar para o telefone 188 (de telefone fixo ou celular), que funciona 24 horas. Também é possível acessar www.cvv.org.br para conversar por meio de um chat. De forma sigilosa e sem julgamentos, o voluntário do CVV busca ouvir aquele que liga com respeito, aceitação, confiança e compreensão, valorizando a vida e, consequentemente, prevenindo o suicídio.

 

 

Origem do Setembro Amarelo


O Setembro Amarelo é uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria. A cor da campanha foi adotada por causa da história que a inspirou:

O Setembro Amarelo começou nos Estados Unidos, quando o jovem Mike Emme, de 17 anos, cometeu suicídio, em 1994. Mike era um rapaz muito habilidoso e restaurou um automóvel Mustang 68, pintando-o de amarelo. Seus pais e amigos não perceberam que o jovem tinha sérios problemas psicológicos e não conseguiram evitar sua morte. Mike Emme estava morto dentro de seu mustang amarelo, em decorrência de um tiro.  O jovem deixou um bilhete: “Mãe, pai, não se culpem. Eu amo vocês. Com amor, Mike. 11:45 pm”.

No sepultamento do jovem, seus amigos e parentes levaram uma cesta com centenas de cartões e cada um estava preso a uma fita amarela, em homenagem ao carro de Mike e sua memória. Nos cartões havia uma mensagem: “Se você precisar, peça ajuda”.

A iniciativa deu início a um movimento importante de prevenção ao suicídio e o laço amarelo foi escolhido como símbolo dessa luta.

Em 2003 a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou o 10 de setembro como o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio e o amarelo do Mustang de Mike foi a cor escolhida para representar esta campanha.







Notícias FIB

(14) 99771-0058 (GRADUAÇÃO)
(14) 99775-7636 (PÓS-GRADUAÇÃO)
(14) 99602-0940
(14) 99785-3416
R. José Santiago, Quadra 15, Bauru - SP, 17056-120
FIB Bauru © 2021 - Todos os direitos reservados